PANDEMIA – Renan Filho analisa possibilidade de determinar o ‘lockdown’

O governador Renan Filho concedeu na noite deste sábado, 2, entrevista à TV Gazeta para falar sobre o adiamento do decreto de isolamento social e a possibilidade de decretar o lockdown, ou seja, a paralisação total do estado.

Filho, que está se recuperando da Covid-19, alertou à população quanto ao crescimento dos casos confirmados e o número de mortes em Alagoas. Até o momento, são 58 óbitos e 1371 casos confirmados.

Quanto ao “lockdown”, Renanzinho destacou que está ouvindo a todos para saber se será a melhor decisão. “Estou conversando com representantes de hospitais, privados e públicos, além de especialistas na área de saúde“.

Disse ainda que o Hospital Metropolitano será entregue até o dia 15 deste mês e que pretende obrigar a população a fazer o uso de máscaras.

identificado, comenta que recebeu uma notícia do empresário alagoano do setor imobiliário Márcio Raposo. O próprio empresário desmentiu a informação que está sendo amplamente compartilhada na internet.

“Pessoal, tive uma reunião agora com a gerência da Márcio Raposo para pressionar sobre vendas e uma notícia de primeira mão: a partir de quarta-feira o Estado de Alagoas vai entrar em lockdown, como está acontecendo no Maranhão e em Sergipe. Esse novo decreto do governador só vai poder sair para farmácia e supermercado. Isso foi em primeira mão para a gente, a partir do dia seis se a PM pegar vai ser preso. Recebi em primeira mão da diretoria, repassado do governador para o Márcio”, diz um trecho do áudio.

O empresário Márcio Raposo desmentiu a informação e disse que em nenhum momento especulou ou repassou aos seus funcionários e pessoas próximas qualquer tipo de informação referente a possíveis ações a serem tomadas pelo Governo de Alagoas.

“É fake. Estou há mais de 20 dias na minha fazenda. Mentira total. Liguei ontem para o governador Renan Filho para ressaltar que esse conteúdo é totalmente falso. Quem cometeu isso associando a minha imagem está, inclusive, praticando crime”, explicou Raposo.

decreto Nº 69.700, atualmente em vigor, é válido até as 23h59 do dia 5 de maio e até o presente momento não foi divulgada nenhuma previsão de prorrogação do decreto e nem de mudanças nas regras atuais.

Fechar