publicidade

Pesquisar

Participação feminina: reunidas com Rodrigo e Jó, centenas de mulheres ecoam que “Alagoas merece mais”

Alagoas merece mais. Mais mulheres na política, mais justiça social, mais oportunidades, equidade racial e igualdade de gênero. Esse foi o tom uníssono do encontro ocorrido na noite desta quinta-feira (28), quando os pré-candidatos ao governo de Alagoas, senador Rodrigo Cunha (União) e deputada Jó Pereira (PSDB) reuniram centenas de mulheres de todos os cantos do estado para uma conversa sobre políticas públicas e maior participação feminina nos espaços de decisão.

Em meio às mulheres, Rodrigo Cunha lembrou sua inspiração de vida, a mãe, deputada Ceci Cunha, vítima de assassinato político em 1998, logo após ser reeleita como deputada federal pelo PSDB , e exaltou a aliança com Jó, a quem classificou de “a maior expressão feminina na política de Alagoas”.

“Toda Alagoas acompanhou a luta de Jó para fazer que cada alagoana seja respeitada, ouvida e valorizada em um estado tão machista. Valeu a pena e está valendo a pena, inclusive, ser muitas vezes discriminada na política por ser mulher, como ela foi, mas é necessário o que Jó fez, faz e ainda vai fazer pelo Estado”, frisou o senador.

Rodrigo prosseguiu afirmando que, entre os 3,3 milhões de alagoanos, escolheria sempre sua companheira de chapa para desenhar com ele um projeto para Alagoas: ‘Se eu sou governador, ela é a governadora”, garantiu, se referindo a uma possível vitória por decisão popular. Ele também assumiu, entre outros compromissos, o de levar mais segurança e proteção às alagoanas, por meio de políticas públicas eficazes, em todas as áreas.

Emocionada, logo após a apresentação de um vídeo com depoimentos de mulheres que tiveram as vidas transformadas pelo seu trabalho como parlamentar, Jó reiterou a sintonia com Rodrigo, frisou a necessidade da representação da mulher na política e apontou cinco prioridades estratégicas: educação transformadora; saúde preventiva, garantidora do estado saudável das pessoas; assistência social valorizada e eficaz para os mais vulneráveis; produção no campo como fixação e valorização das famílias de agricultores em suas terras com apoio, assistência técnica e oportunidades de renda; e o desenvolvimento econômico-social para todas e todos os alagoanos, por meio do incentivo e diálogo com os setores de nossa economia.

“Há tempos o estado vem negando educação ao seu povo, e educação não se faz só com obras, mas com o que essas construções abrigam, alunos e profissionais da educação com direito a infraestrutura, capacitação, inclusão, tecnologia, mas acima de tudo respeito ao futuro de todas e todos”, pontuou Jó, garantindo ainda que “a Alagoas que queremos será parceira dos municípios. E quando o povo precisar da alta e da média complexidade na saúde, por exemplo, não vai encontrar só prédios construídos, mas resolutividade e dignidade”.

Jó Pereira citou também a importância da agricultura no desenvolvimento sócio-econômico; do enfrentamento da violência contra mulher; e lamentou décadas perdidas em relação ao enfrentamento da desigualdade social, “emparedada com obras de areia e de concreto”.

Para ilustrar, relatou que nos primeiros 365 dias de pandemia, o governo estadual entregou o equivalente a 15 dias de comida para quem tem fome, com recursos do Fecoep. “Foi isso o que fez o governo que mais arrecadou com aumento de impostos e que também recebeu, do governo federal, grandes recursos para enfrentar a pandemia. Pessoas não eram e nem são prioridade nesse governo”, concluiu.

*Participações*

A reunião organizada pelo União Brasil e realizada em um dos auditórios do Hotel Ritz Lagoa da Anta foi aberta com a apresentação do Batuque Yá e das afro-bailarinas Olodum e Juliana, e contou com a participação de Mirian Monte, presidente do UB Mulher, recitando a poesia de sua autoria “O cravo, a rosa e a estatística”, em repúdio aos casos de feminicídio em Alagoas.

Em seguida, Amanda Brito, representante do Movimento Mais Mulheres na Política, falou sobre mais mulheres no poder e, defendendo a importância da paridade para o crescimento do país, afirmou que Jó, a única mulher na disputa em uma chapa majoritária local, representa não só as alagoanas, mas brasileiras de todo o país.

Ao final, a ativista Arísia Barros, do Instituto Raízes de Áfricas, apresentou a música Ventos de mudança, escrita por ela para Jó Pereira.

Prestigiaram o encontro, a primeira-dama de Maceió, Marina Candia; a ex-prefeita de Campo Alegre e ex-presidente da AMA, Pauline Pereira; a cantora Milane Hora, companheira de Rodrigo Cunha; secretárias municipais de Maceió; vereadoras; lideranças diversas; representantes da sociedade civil organizada; pré-candidatas de vários partidos aliados, entre elas Mônica Peixoto, a ex-vereadora Ana Hora e a suplente de vereadora Maria Tavares (todas do PSDB); e familiares dos pré-candidatos Rodrigo e Jó.

VEJA TAMBÉM