publicidade

Pesquisar

Denúncia: major flagrado pela PF fugindo com malas de dinheiro por suposta compra de votos vai chefiar 2° turno em AL

A Coligação Alagoas Merece Mais denuncia e solicita a imediata revogação da portaria que designou o major Sydirlan Hibson Pereira da Silva para chefiar o destacamento da Polícia Militar de Alagoas no município de Mata Grande, Sertão de Alagoas. Conhecido como “Major da Mala”, Sydirlan foi flagrado, às vésperas do segundo turno, com duas malas com dinheiro, após a Polícia Federal receber denúncias de suposta compra de votos.

O “Major da Mala” fugiu a pé do Hotel Ritz, no momento em que agentes da PF flagraram o deputado estadual Marcelo Victor (MDB), presidente da Assembleia Legislativa Estadual (ALE) e braço direito do governador acusado de corrupção, Paulo Dantas (MDB), com R$ 145 mil em dinheiro vivo, santinhos e lista de eleitores. Sydirlan foi interceptado por um agente da PF, mas se recusou a parar e se entregar e ainda apontou uma arma para o policial.

Em “recompensa” pelo ato contra os agentes federais, o major foi designado pelo comando da PM para chefiar a operação policial na eleição do segundo turno, que será disputada entre Paulo Dantas, governador investigado por corrupção, contra o candidato ao governo de Alagoas, Rodrigo Cunha (União). O “Major da Mala” é um dos seguranças de Marcelo Victor.

A campanha de Rodrigo Cunha repudia a designação do “Major da Mala”, que claramente tem fins de manobra eleitoral. O candidato também pede aos órgãos oficiais celeridade na apuração do suposto esquema de compra de votos orquestrado pelo presidente da ALE, Marcelo Victor, do qual participou o major, a fim de garantir a lisura das eleições.

“Esse presidente é o maior patrocinador da campanha de Paulo Dantas, governador investigado por corrupção. Ele quem financia e coordena a campanha, foi pego com prova cabal de crime eleitoral, com a própria PF abrindo inquérito para investigar a compra de votos. Se a PF pega o maior patrocinador de Paulo com mala de dinheiro, lista de nomes e santinhos e abre o inquérito, é preciso dar celeridade à investigação”, declarou a coligação.

*Ascom Alagoas Merece Mais*

VEJA TAMBÉM