publicidade

Pesquisar

Neuropsicóloga aponta necessidade da parceria no enfrentamento do TDAH

Para Fernanda Barreto, escola e família são fundamentais para diagnóstico e terapia das crianças

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) representa um grande desafio para pais, educadores e, especialmente, para as crianças que vivenciam essa realidade no dia a dia. A neuropsicóloga Fernanda Barreto tem estudado o assunto e destaca que o diagnóstico de TDAH é um processo desafiador que exige uma abordagem completa, envolvendo vários fatores e estratégias de enfrentamento. Esse processo demanda uma atenção especial à observação comportamental, bem como ao histórico médico e psicológico da criança, puxando para uma parceria entre escola e família.

 

“É crucial uma colaboração estreita entre pais, educadores e profissionais de saúde para entender os sintomas e garantir um diagnóstico preciso, afinal, assim todos ganham tempo e qualidade de vida”, ressaltou. Depois disso, é preciso fazer a abordagem sobre os diferentes padrões do TDAH – predominante desatento, predominante hiperativo-impulsivo e o combinado. “Reconhecer essas variações será crucial para personalizar intervenções eficazes, considerando as necessidades únicas de cada criança dentro de um padrão de comportamento”, acrescentou.

 

Ao abordar as estratégias de acompanhamento, Fernanda enfatiza a necessidade de consistência e estrutura. Na escola, técnicas como a quebra de tarefas em etapas menores e o reforço positivo são essenciais. Em casa, por exemplo, é fundamental criar um ambiente estruturado com rotinas claras e estabelecer limites. “A consistência em ambas as configurações são pilares para estruturar o sucesso das estratégias de enfrentamento”, afirmou a neuropsicóloga.

 

APRENDER EFETIVAMENTE

Ela sugere abordagens interativas para envolver as crianças e tornar o processo de aprendizagem mais eficaz. A personalização é a chave no auxílio à aprendizagem de crianças com TDAH, destaca Fernanda. “Entender as habilidades individuais da criança e adaptar as estratégias educacionais são fundamentais para maximizar o potencial de aprendizado”, analisou.

 

Fernanda ressalta ainda a importância crucial da terapia infantil no gerenciamento do TDAH. “Além de fornecer suporte emocional para crianças e família, a terapia capacita os pais e os pequenos para usar habilidades de enfrentamento, estratégias de autorregulação e uma compreensão mais profunda das emoções”, concluiu.

 

Gratta Comunicação

VEJA TAMBÉM