publicidade

Pesquisar

Em pesquisa divulgada Collor tem alta rejeição e Paulo Dantas lidera as intenções de voto para o governo de Alagoas

Estamos caminhando para mais uma eleição majoritária e faltando três meses para que possamos ir às urnas escolher nossos representantes mais uma pesquisa é divulgada e revela uma total mudança de cenário diante do que vinha sendo apresentado nas pesquisas anteriores, pelo menos para o executivo estadual, que ao longo do primeiro semestre de 2022 trazia Rodrigo Cunha (UB) no topo das intenções de voto.
Em pesquisa divulgada nesta segunda-feira (p4) pelo Instituto DataSensus, Paulo Dantas (MDB) que vinha tendo um crescimento exponencial superou os adversários e chegou na primeira posição, empurrando para trás Rodrigo Cunha, preferido até então, e o ex-prefeito de Maceió Rui Palmeira (PSD), a questão é que com a entrada de Fernando Collor (PTB), os adversários supracitados passam a ocupar terceiro e quarto lugar, respectivamente, tanto nas estimuladas quanto nas espontâneas, mas Dantas sai vencedor em todos os cenários.
Em ambos os cenários, estimulado e espontâneo, Dantas tem uma vantagem de 8% em relação a Collor, já Cunha encosta em Collor na intenção de votos, com um empate técnico considerando a margem de erro, Rui Palmeira, vem logo atrás, empurrado pela popularidade Fernando Collor e contrariando as expectativas de que seria um candidato forte o suficiente para chegar em um segundo turno, falando em segundo turno, vale avaliar que, de acordo coma rejeição de Fernando Collor e seu posicionamento nas pesquisas, seria o candidato ideal para disputar o executivo com Dantas, alcançando um percentual de 30%, contra apenas 8% de rejeição do governador-tampão, Collor praticamente entregaria de bandeja a cadeira do Palácio dos Palmares para o candidato dos Calheiros.
Mas isso somente caso não seja estrategista e continue na disputa apenas contando com o apoio do presidente Jair Bolsonaro, de alguma forma Fernando Collor deveria correr atrás do apoio dos demais candidatos em um eventual segundo turno, angariando os votos e fazendo o jogo virar com relação à Dantas, uma tarefa nada fácil, já que Cunha e Rui estão correndo léguas de ter seus nomes relacionados à Bolsonaro, de fato um verdadeiro desafio para Collor, que ao mesmo tempo que ganhou popularidade ao fazer sala em Alagoas para o atual presidente, também conquistou uma exponente rejeição da parte do eleitorado arrependido de ter apertado 17 nas eleições passadas, isto se deve à polarização nacional que contaminou a eleição local entre Paulo Dantas, fazendo palanque para Lula, e Collor, para Bolsonaro, o fato de que tanto Cunha quanto Rui não assumiram apoio a um candidato à presidência praticamente os tira da disputa caso essa polarização de fato se confirme por aqui.
Para o senado, tudo indica que Renan Calheiros Filho conquista o senado federal, já que tem uma clara vantagem em todos os cenários com relação ao segundo colocado, o deputado Davi Davino Filho, aposta do PP de Arthur Lira, caso não haja nenhuma polarização até a data das eleições, RF se mantém estável e sua eleição está garantida, sem grandes dificuldades, Na espontânea RF aparece com um percentual de 18,6% contra 2,4% de Davi Davino Filho, já nas estimuladas, impressionantes 48% contra 12,8%.
Para o executivo federal o cenário não muda muito, Lula (PT) continua liderando, com Jair Bolsonaro (PL) em segundo lugar seguido por Ciro Gomes (PDT), que foi praticamente jogado de escanteio, vemos ainda uma completa polarização quando o assunto é presidência, mas mesmo estando como favorito, Lula não passa dos 49% das intenções de votos, com uma margem de erro de1,4% para mais ou para menos nesta pesquisa e com os resquícios do anti-petismo somado à horda de admiradores de Bolsonaro que ainda resiste e o sustenta para um eventual segundo turno, a tendência é que a margem de Lula esteja mais para menos, ou seja, não dá para cantar vitória ainda.
Na espontânea Lula aparece com 41% das intenções de voto contra 25,1% de Jair Bolsonaro, já na estimulada, 49,7% contra 28,9%, cenários bem parecidos que mostram um disputa bem concentrada. A pesquisa foi realizada entre os dias 30 de junho e 2 de julho, com uma amostra de 5.026 entrevistados em 99 municípios do estado de Alagoas e tem uma margem de erro de 1,4 pontos percentuais para mais ou para menos.

VEJA TAMBÉM